Acredita que o ESTADO BRASILEIRO é competente para garantir sua PROSPERIDADE NA MATURIDADE?

2018-05-15T15:59:46+00:00 15/05/2018|Planejar a Aposentadoria|

Não fique na DEPENDÊNCIA DO INSS: comece hoje a montar seu PROJETO DE PREVIDÊNCIA PARTICULAR!

Benefício? A gente paga um belo valor durante décadas todos os meses para a SEGURIDADE SOCIAL… e o que recebemos na maturidade? Uma mísera quantia que recebe a irônica denominação de BENEFÍCIO! Repare que o termo benefício do INSS, embora seja a designação técnica clássica do valor recebido pelos chamados beneficiários da seguridade pública, não deixa de revelar um vício de paternalismo estatal, pois este “benefício” nada mais é que o retorno comprado pelos trabalhadores com contribuições compulsórias regulares durante toda a sua vida laboral ativa. Sim, um termo mais adequado seria retorno.

Reforma? E, por falar em “retorno”, aproveito para esclarecer que não costumo gastar muito tempo discutindo a REFORMA e o futuro da Previdência Social no Brasil, e por um simples motivo prático: ela não está sob nosso controle como indivíduos. Como contribuintes e cidadãos podemos ter nossas opiniões, podemos fazer cálculos dos mais diversos (as redes sociais estão cheias deles, e surtem pouco efeito aplicado), podemos protestar e demandar, podemos tentar influenciar legisladores e governantes através do voto. Mas isto não terá efeito concreto sobre a situação particular de cada trabalhador frente a esta importantíssima fase da vida de todos (pelo menos os que forem presenteados com a bênção da vida longa!): a APOSENTADORIA.

Incompetência. Parto do seguinte raciocínio: você acredita que o Estado brasileiro é suficientemente competente para cuidar da EDUCAÇÃO de nossos filhos? Julga esta entidade razoavelmente apta a cuidar de nossa SAÚDE? Você confia no governo brasileiro para cuidar da SEGURANÇA de nossas famílias? Enfim, você crê que estas FUNÇÕES BÁSICAS do Estado foram, são e serão bem cumpridas pelo chamado “poder público” (a designação chega a ser risível) em suas diferentes esferas no país? Minha particular resposta a estas questões é um sonoro “NÃO”, e vou arriscar afirmar que eu e você estamos basicamente de acordo nesta leitura. Então, por que legaríamos ao mesmo governo inepto o nossoprovimento, nosso conforto e bem estar ao final de nossa vida laboral remunerada? Claro está que não funcionará!

Mas e as reformas? Reformas vêm e virão, e todas elas terão um único sentido: colocar critérios cada vez mais dificultosos para o acesso a um benefício que será progressivamente cadente, paulatinamente achatado em termos reais a cada nova rodada de revisão dos critérios de concessão. Se hoje já achamos que é MUITO POUCO, e DISTANTE demais, será cada vez menos digno, e menos acessível. Entenda que o compromisso do Estado não é com a sua vida financeira, mas, quando muito, com a equalização das contas públicas. Para esta entidade sem face (e sem alma) que é o Estado, eu e você não somos uma vida, somos apenas um número de CPF, meros contribuintes, com dois estados possíveis: ativos ou inativos.

Reaja! Então não se iluda: seja por incompetência no planejamento e na gestão dos recursos do INSS, seja por falcatruas e desvios históricos que se repetem insistentemente sobre um dinheiro que, por ser público, acaba sendo “de ninguém”, o inevitável sentido da Previdência Social no Brasil é o ENCOLHIMENTO do “benefício”, resultando na pauperização do aposentado que não se mobilizar para “correr por fora”. Sim, pode ser triste, mas chorar pelo leite que com certeza não encherá seu copo é pouco prático para sua felicidade. Mexa-se! O sábio ditado nos alerta que “camarão que dorme a onda leva”. Comece a montar ainda hoje o seu projeto de PREVIDÊNCIA PARTICULAR!

Quer boas ideias, técnicas e ferramentas para PLANEJAR A APOSENTADORIA e dar A VIRADA NA VIDA FINANCEIRA? Fique tranquilo: eu e os melhores EDUCADORES PRÓSPEROS® deste país jamais vamos deixar isso tudo lhe faltar! Vem com a gente… e VAMOS PROSPERAR!

Prof. Marcos Silvestre | Mentor de Coaching Money® do PROFE®

PODCAST

Gostou deste CONTEÚDO sobre DINHEIRO & NEGÓCIOS? Dê SUA OPINIÃO aí nos comentários!