O LUCRO é igual ao PREÇO DE VENDA menos os CUSTOS: como assegurar que ele seja o MAIOR possível?

2018-05-10T15:18:06+00:00 10/05/2018|Replanejar meu Negócio|

Para fazer SEU NEGÓCIO DAR LUCRO, o primeiro passo é PRECIFICAR CORRETAMENTE cada produto!                               

Precificação X lucro. Para entendermos o que é LUCRO e garantir que haja um bom tanto dele como resultado do negócio, temos primeiro de enxergar como o PREÇO de um produto é formado, já que o lucro é o preço a que se vende um produto, subtraindo dele tudo o mais que tem de ser retirado (e você sabe que não é pouca coisa)!

  • 1. Cálculo do CUSTO UNITÁRIO do produto a ser precificado. Existem essencialmente dois tipos de custo nos negócios: custo direto X custo indireto. O CUSTO DIRETO é o valor gasto para fabricar ou comprar o produto. Para um comércio de calçados finos, por exemplo, o custo direto é o valor que a loja paga à fábrica ao comprar cada calçado. Digamos que  o custo direto unitário seja de R$ 120 por calçado. Já o CUSTO INDIRETO corresponde aos gastos que beneficiam todos os produtos ao mesmo tempo e que são distribuídos (ou rateados) para cada um dos produtos de acordo com algum critério que faça sentido para o negócio como, por exemplo, dividir todos os custos indiretos de cada mês pela quantidade média de produtos vendidos no mês. Entram no custo indireto todos os gastos com a GESTÃO do negócio: aluguel da loja, salários, manutenção, propaganda e outros. Vamos então imaginar que a soma desses custos para a loja seja de R$ 12 mil/mês. Sabendo que a loja vende, em média, trezentos pares por mês (dez pares por dia), cada par de sapatos receberá, pelo rateio, a responsabilidade de bancar o custo indireto de R$ 40. Assim, calculamos que o CUSTO UNITÁRIO do sapato será de R$ 160 (= R$ 120 custo direto + R$ 40 custo indireto).
  • 2. Cálculo dos ENCARGOS sobre o preço de venda do produto. Imaginemos que a loja de sapatos pague também uma COMISSÃO aos vendedores de 5% sobre o valor das vendas (além de um salário fixo, que costuma ser baixo). Vamos também supor que o empresário espere uma PERDA MÉDIA definitiva (pela inadimplência dos clientes) de outros 5% do faturamento e que a CARGA TRIBUTÁRIA líquida (soma de todos os impostos) seja de 25% sobre o valor do produto (seu contador sempre poderá lhe fornecer essa informação com precisão). Nesse caso, o percentual total de ENCARGOS SOBRE VENDAS será de 35% (= 5% comissão + 5% inadimplência + 25% impostos).
  • 3. Determinação da MARGEM DE LUCRO desejada. Calibre direito, aqui: se a margem for muito baixa, as vendas proporcionarão um resultado financeiro fraco para o empreendedor. Se for alta demais, os produtos ficarão caros demais diante da concorrência, prejudicando o volume de vendas. Vamos, neste momento, imaginar que a MARGEM DESEJADA pelo dono desta loja de calçados finos seja de 25%.
  • 4. Determinação do PREÇO DE VENDA. Um jeito simples (embora matematicamente não exato) de definir o preço, será multiplicar o custo unitário por 160% (= 100% custo unitário + 35% encargos + 25% margem), ou seja, R$ 160 X 160% = R$ 256. Este será o preço de venda de cada mercadoria, no caso, de cada par de sapatos, para pagar todas as contas do negócio e ainda dar o LUCRO DESEJADO pelo dono!

Quer boas ideias, técnicas e ferramentas para dar A VIRADA NA VIDA EMPREENDEDORA e ter MAIS LUCRO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO? Fique tranquilo: eu e os melhores EDUCADORES PRÓSPEROS® deste país jamais vamos deixar isso tudo lhe faltar! Vem com a gente… e VAMOS PROSPERAR!

Prof. Marcos Silvestre | Mentor de Coaching Money® do PROFE®

PODCAST

Gostou deste CONTEÚDO sobre DINHEIRO & NEGÓCIOS? Dê SUA OPINIÃO aí nos comentários!