O valor dos SERVIÇOS é menos tangível que o de MERCADORIAS: como precificá-los de forma científica?

2018-06-12T17:47:43+00:00 12/06/2018|Replanejar meu Negócio|

Prestador de SERVIÇOS: calcule corretamente o valor da sua HORA-PROJETO… e mantenha-se ENXUTO!

Dê seu preço! No episódio imediatamente anterior a este eu desenvolvi com você um raciocínio sobre como PRECIFICAR a hora-atividade de um prestador de SERVIÇOS. Eu pude argumentar que, da venda das horas vendáveis(normalmente 2/3 das 180 horas totais de trabalho disponíveis no mês, ou seja, 120 horas mensais) terá de vir o dinheiro para:

   1) cobrir os CUSTOS do negócio;

+ 2) pagar seu PRÓ-LABORE (o merecido “salário” por empenhar seu trabalho na empresa);

+ 3) gerar o LUCRO almejado (afinal, o principal propósito financeiro de lançar um negócio próprio).

Exemplo. Vamos analisar uma SITUAÇÃO PRÁTICA, para não restar dúvidas nos cálculos. Comece apurando o somatório das despesas fixas do negócio, como aluguel (R$ 1.500), condomínio (R$ 300), telefone (R$ 200), material de escritório (R$ 100), combustível (R$ 400), estacionamento (R$ 100), alimentação no período de trabalho (R$ 400) e outros diversos (reservar R$ 500).

Parte a parte. Nesse exemplo, somando tudo, chegamos a um CUSTO FIXO de R$ 3,5 mil, valor que deverá ser desembolsado todos os meses e terá, logicamente, de ser coberto pelas horas vendidas. Adicione aos custos fixos o valor líquido que você ganhava (ou ganharia) como funcionário, desempenhando no mercado o mesmo trabalho que realiza em sua própria empresa. Digamos que sejam R$ 3,5 mil mensais de PRÓ-LABORE. Em seguida, some aos dois valores anteriores o LUCRO almejado: sugiro pelo menos 1% por mês do capital empatado na abertura do negócio. Digamos que tenha aplicado R$ 100 mil (para se sustentar + montar o negócio + bancá-lo até o ponto de equilíbrio) e, assim, queira ter lucro mensal de R$ 1 mil.

Total. Somando tudo chegamos a R$ 8 mil (= R$ 3,5 mil custos + R$ 3,5 mil pró-labore + R$ 1 mil lucro). Adicionamos, então, 20% de encargos, para cobrir impostos e contador, e assim obtemos R$ 9.600 (= R$ 8 mil + 20% encargos). Por fim, dividimos o valor total obtido por 120 horas: R$ 9.600 meta de faturamento / 120 horas = R$ 80/hora. Agora, você sabe o quanto cobrar por HORA TRABALHADA. Você já tem condições de orçamentar, por exemplo, um projeto que empregue dez horas em sua execução: R$ 800 (= R$ 80/hora X 10 horas).

Competitivo? Mais uma vez, cabe perguntar: isso é COMPETITIVO? Seu cliente provavelmente concordará em lhe pagar esse valor? Lembre-se de que o cliente só aceita pagar por aquilo que ele VÊ E SENTE, ou seja, aquilo que você lhe adiciona de efetivo através de seu tempo de trabalho a ele dedicado. Por exemplo: não interessa ao cliente se você foi até o local combinado de prestação de serviços a pé, de ônibus, em um carro popular ou num carro de luxo com motorista de quepe e gravata: essa é uma escolha inteiramente sua, não tente repassar esse custo ao cliente, porque qualquer LUXO INDEVIDO vai acabar saindo, isso sim, da corrosão da sua margem de lucro! Portanto, para maximizar sua lucratividade, mantenha os custos e os encargos bem enxutos!

Quer boas ideias, técnicas e ferramentas para obter MAIS LUCRO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO, e dar A VIRADA NA VIDA EMPREENDEDORA? Fique tranquilo: eu e os melhores EDUCADORES PRÓSPEROS® deste país jamais vamos deixar isso tudo lhe faltar! Vem com a gente… e VAMOS PROSPERAR!

Prof. Marcos Silvestre | Mentor de Coaching Money® do PROFE®

PODCAST

Gostou deste CONTEÚDO sobre DINHEIRO & NEGÓCIOS? Dê SUA OPINIÃO aí nos comentários!