Será que as pessoas GANHAM TÃO POUCO ASSIM… ou andam mesmo é PENSANDO POBRE?

2018-06-11T15:22:57+00:00 11/06/2018|Planejar meus Sonhos|

Se acha que GANHA POUCO demais para poder REALIZAR SEUS SONHOS… evite a todo custo as DÍVIDAS!

Herdeiro? Quando você era um bebê recém nascido, ainda lá na maternidade, seus pais chegaram ao pé do seu ouvido e disseram: “Filho/a, nós te amos e queremos lhe dar tudo do melhor. Sabemos que um dia precisará de uma casa para morar: já compramos, passamos a escritura no seu nome. Ficará alugada enquanto não precisar usar, mas já está reserva para você. Sim, e tem também um carro na garagem. Quer dizer, não compramos o carro porque ficaria velho até lá, mas já reservamos o dinheiro certo no banco. Aliás, lhe deixamos uma boa quantia aplicada, para rentabilizar e pagar suas contas!”

Pooobre! Muito provavelmente não foi assim. Seus pais lhe deram todo o amor e carinho que podiam dar, mas, não sendo ricos multimilionários, não lhe deixaram patrimônio imobiliário ou financeiro expressivo. Em outras palavras: você não nasceu em BERÇO DE OURO! E muita gente toma precisamente este ponto de sua história pessoal, nada menos que sua gênese neste mundo, para embasar um raciocínio tristemente fatalista: “Nasci pobre. Portanto, pobre sou. Tenho sonhos importantes (casa, carro, uma grande viagem…). Mas, pobre que sou, jamais terei o dinheiro para concretizá-los como fazem os ricos: pagando à vista. Ou simplesmente frustrarei estes sonhos (não!), ou terei de fazer dívidas para tentar conquistá-los.”

Pobre de marré. Há também outro jeito muito eficaz de pensar pobre: “Veja só meu salário! Ganho pouco demais! Com esta “miséria” não dá para viver a vida que eu quero (e que tenho direito!). Então… bem… não há outro jeito: sou obrigado a fazer dívidas para complementar o salário. Afinal, sou pobre!”

“Solução”. Daí a pessoa ganha R$ 4 mil livres e diz que isso é muito pouco, que não dá (renda de pobre!). Justamente porque “não dá”, decide contrair “umas dividazinhas” cujas parcelas somadas dão R$ 1.500,00. Destes R$ 1.500,00, cerca de R$ 1 mil são repagamento do valor PRINCIPAL tomado emprestado, e nada menos que R$ 500,00 são JUROS PUROS, um dinheiro que a pessoa terá de entregar religiosamente ao banco, mas cujo benefício concreto em sua vida ela jamais irá experimentar. São R$ 500,00 de poder de compra do salário mensal que viraram pó com os juros das dívidas, mais de 10% do salário pagos de “dízimo” ao banco todos os meses!

Pela culatra. Dos R$ 4 mil que a pessoa tinha de renda livre sobraram R$ 2.500,00. Daí ela chora ao lembrar de quando ainda tinha R$ 4 mil soltos no bolso para fazer o que bem entendesse… Pensou pobre, desvalorizou os ganhos do seu trabalho e apelou para as dívidas como “solução”? Pois empobreceu ainda mais! Quer algo que dê mais certo do que esta “estratégia”? Trate seu “salário de pobre” com maior respeito: economize, aplique, junte, ganhe juros e, quando tiver a grana pronta, compre à vista e com desconto. Pense com uma MENTALIDADE PRÓSPERA, valorize seu trabalho e fuja das dívidas!

Quer boas ideias, técnicas e ferramentas para PLANEJAR SEUS SONHOS e dar A VIRADA NA VIDA FINANCEIRA? Fique tranquilo: eu e os melhores EDUCADORES PRÓSPEROS® deste país jamais vamos deixar isso tudo lhe faltar! Vem com a gente… e VAMOS PROSPERAR!

Prof. Marcos Silvestre | Mentor de Coaching Money® do PROFE®

PODCAST

Gostou deste CONTEÚDO sobre DINHEIRO & NEGÓCIOS? Dê SUA OPINIÃO aí nos comentários!